18 janeiro 2017

A cada dia temos um novo blogueiro na decadente blogosfera


Blogs são páginas da internet onde regularmente são publicados diversos conteúdos, como textos, imagens, músicas ou vídeos, tanto podendo ser dedicados a um assunto específico como ser de âmbito bastante geral. Podem ser mantidos por uma ou várias pessoas e têm normalmente espaço para comentários dos seus leitores. Blogueiro é o nome dado a quem publica num blog e blogosfera é o conjunto de blogs.  (texto retirado do site significados)


Estou vendo com o passar do tempo a blogosfera e a vlogosfera crescendo em larga escala, e rapidamente. A minha história com o blog começa no ano de 2010 (tinha meus 16 anos) e ainda estávamos na onda do MSN (que foi uma rede social que demorou muito a cair e tornar-se o skype). Nessa época a primeira plataforma que começou a ficar mais conhecida era o blogspot, que não só era como contínua sendo, a plataforma da empresa Google mais utilizada para a criação de blogs. Montar um blog naquela época não era difícil, poucos tinham vontade de se expor publicamente. Então fazer um blog ascender em dois anos era muito fácil.

O meu primeiro blog era chamado Mundo Obscuro (um blog de temática gótica e rock pesado), o conteúdo era um pouco diversificado: textos reflexivos, contos e poemas escritos por mim, bandas e subcultura, e lançamentos de singles e discos que tem a ver com a temática. Em questão de dois anos eu obtive cerca de 600 seguidores, podendo ultrapassar o número. O blog para mim veio como uma forma de ajuda (que não vem ao caso), nessa época conheci não só blogueiros como também “fãs” que acompanham meu trabalho até hoje.

Mas, se atentem para esse fato. Sete anos atrás era fácil ascender um blog publicamente, o que me faz questionar: o que mudou agora? Percebo com o passar do tempo e do que tenho observado em grupos (e olha que nessa época os grupos de blogs no facebook eram quase extintos, eu mesma não participava de nenhum) que existe certa “rixa” entre eles (entre os blogueiros). O conteúdo fornecido por maioria dos blogs é o mesmo, tanto que podemos classificar os blogs em: geeks e nerds, otomes e otakus, moda (não importando qual), diários online, literários, blogs de escritores, musicais, historiadores (não importando qual), fotográficos, estilo de vida, etc.


O motivo dessa migração toda de internautas é a monetização que se tem oferecido aos blogueiros e vlogueiros. “Como assim Karol?”. Os blogs antigamente eram monetizados, porém não eram tão bem reconhecidos como é hoje em dia por tantas empresas (nacionais e internacionais). Porém como a demanda de procura por parcerias e anúncios tem sido grande, as empresas tem peneirado mais os blogs utilizados para divulgação de seus produtos. Assim também se faz entre a parceria com editoras, maioria não olha só a estruturação de uma resenha, ou a temática de um blog, porém a quantidade de seguidores reais. E quando digo seguidores reais, estou citando os seguidores que visualizam, compartilham e comentam seu conteúdo. 

O número acima poderá sofrer (ou ter sofrido) alteração.

A blogosfera tornou-se competitiva, temos poucos seguidores reais e muitos blogueiros que querem ascender publicamente na base do me segue que eu te sigo de volta (já fiz um post sobre isso, clique aqui para ler). E os blogueiros que são sub-celebridades da TV (alguns) estão em busca de uns minutinhos de fama (post aqui).

Enfim, assim segue meu pequeno estudo sobre a blogosfera e os blogs que a compõem. 

3 comentários:

  1. Eu comecei na blogosfera com uns 9 anos (2009) e era muito diferente. Sempre teve competição e sempre vai ter, mas antes não era ao extremo. É difícil blogueiras se ajudarem para crescer juntas, agora que começou a bombar os grupos do facebook e agora que está começando novamente a interação.

    www.viletoria.com.br

    ResponderExcluir
  2. Criei um blog quando tinha uns 17 anos mas não sabia bem o que escrever. Desisti sem nunca ter feito um post hahaha. Na verdade eu gostava de escrever mas tinha um pouco de receio de as pessoas lerem o que eu escrevia, e isso foi lá por 2008. Em 2011 uma colega me convidou pra escrever no blog dela. Eu adorava escrever e divulgar o blog, muita gente lia e era bem legal, mas quando vi que eu estava escrevendo mais que ela própria,resolvi criar o Teorias Femininas, isso em 2012. Lá eu falo de vários assuntos, e nunca tentei ganhar dinheiro com ele, aí no começo do ano passado coloquei Adsense mas nem consegui atingir valor pra saque hehe. Como estava misturando muitos assuntos naquele blog, esse ano resolvi criar o Café com Naftalina, pra falar de coisas dos anos 80 e 90, infância, etc., que é um assunto que eu amo. Claro que se eu puder ganhar dinheiro com isso, que bom! Mas acho que primeiramente tem que fazer aquilo que gostamos. Hoje em dia é "moda" ser youtuber, ou blogueira, mas a troco de que? Uma faminha nas redes sociais quem sabe. O segredo é fazer aquilo que se gosta. <3

    www.teoriasfemininas.com.br
    www.cafecomnaftalina.com.br

    ResponderExcluir
  3. Quando eu criei meu blog, a blogosfera ainda não tinha muito dessa coisa de monetização e anúncios. Eu lembro que comigo foi exatamente como você disse, em alguns meses eu já tinha alcançado uma quantidade significativa de seguidores (pessoas que realmente liam o que eu escrevia, comentava e se importava comigo) e lia um monte de blogs que eu tinha os donos como amigos. Hoje o que eu vejo são muitas panelinhas, não afiliados ou parceiros como tinha quando entrei aqui, mas panelinhas mesmo, um grupinho de blogueirXs que são exclusivos entre si, e não abrem espaço pra alguém de fora. Também é difícil se aproximar dos blogueiros mais novos, que com um dia de blog já agem como se fossem supercelebridades, não respondem comentários, não visitam seu blog, não fala nem um "oi" sequer... É foda.

    A competição também ficou muito grande. Vejo muita gente postando coisas como "dicas para blogueiros" sem ter um mínimo de experiência com blogs, só porque é isso que dá acesso (geralmente essas dicas são parafraseadas de outros sites que também dão dicas, mas são mais experientes). E ai de você se precisar de ajuda, uma divulgação, uma palavra amiga. Eu sinto muita falta daqueles posts de blogs que eu indico que as pessoas faziam, porque eu conhecia muita gente legal. A maioria dos posts que vejo assim atualmente só indicam os mesmos blogs, e geralmente são blogs que são bem famosinhos e ninguém precisa de indicação pra ir ler. Tá difícil nossa querida blogosfera

    ResponderExcluir