16 maio 2016

Não sei o que sou hoje


Eu não sei o que sou hoje e mau posso controlar o que serei amanhã. “ Ta tudo assim tão diferente”. Me sinto calma e talvez as coisas sobre mim se reflitam nesse momento, pois eu gosto da calmaria, da água do mar, do frio congelante, da vida tranquila e sem preocupações, do nada que as vezes me pega e me põe de molho. Gosto de imagens e textos sem noção e sentido aparente. Já gostei de pessoas e hoje desprezo o mundo. Conheço alguns seres e consigo relacionamentos suportáveis e duráveis na medida do possível – a não ser que me deixem, como já fizeram. E eu gosto dos caminhos que se entrelaçam por ai e me fazem perder a noção do perigo daquilo que não posso ver – como o futuro inserto que nos cabe. Curto a sombra da árvore e o livro do Machado de Assis. Também gosto de comer como gosto de caminhar sem direção. Gosto da casa no lago que ainda terei e dos sonhos que vivo planejando para me manter de pé amanhã. Mas eu gosto do amanhã que vem e se infiltra, como uma noite passada e filtrada de sonhos estranhos. Contudo adorei quando gritei “Eu te amo” aos quatro ventos e quem eu queria que escutasse e chegasse jamais escutou e chegou. Porque eu gosto de repetir a mesma música varias vezes e gosto de relembrar o passado sabendo que irei enjoar da música, mas não da minha vida. Porém não sou fã de tudo e sim de mim que pertenço ao mundo e sua imensidão criteriosa de pessoas insuficientes de atenção. Eu sou atenção com direito a melancia no pescoço. Alguns enxergam o suicídio da minha alma e esquecem que o corpo permanecerá o mesmo até a minha morte e os vermes me deteriorarem. Porque no fim eu morro: só o pó e sem vida. No entanto eu digo que gosto de gestos: carinho, abraços, afagos, gentilezas. Eu não sou feita dos outros, sou feita do pó da via - láctea que é imenso. Gosto da gula por dominar o mundo e provar que não devo provar nada a ninguém. Gosto do fato de não me importar se curtem ou não meu extinto. Entretanto adoro saber o que pensam de mim e do mundo que sou. E mesmo não sendo tão religiosa ainda agradeço a Deus ou quem quer esteja lá em cima pelo dia de hoje e os próximos que estarão por vir. Porque eu gosto muito e muito e muito e muito e muito e muito e muito e muito… Porque eu sei o que sou hoje, mas não posso controlar o que serei amanhã.


7 comentários:

  1. Primeiramente, adorei a ilustração do post!
    Segundo, eu gostei muito do seu texto. Faz todo sentido. Nós mudamos muito, antes gostamos de uma coisa, depois passamos a não suportar mais. A cabeça muda, as opiniões mudam. A gente fica chocado com tanta mudança, mas isso é mais natural do que a gente imagina. Isso faz parte do processo de amadurecer, eu acho.
    bjss
    blogtrashrock.com

    ResponderExcluir
  2. Que texto maravilhoso, sempre ruim pra fazer comentários sobre coisas que lembram à mim mesma, mas saiba que ficou uma maravilha!

    Peixinhos, Gabbe!
    Blog: Talo de Maçã |Fanpage |Instagram

    ResponderExcluir
  3. OI KAROOOOOOOOOL
    claro que não esqueci de você, beu abor. Sempre vinha aqui procurando post novo e não encontrava (mas acho que vacilei porque tem um anterior a esse HAHAHAH).

    Então.. me identifiquei muito com seu texto porque, como geminiana, eu tenho muitos lados dentro de mim (além dos altos e baixos confessos que todo mundo tem e todo mundo vai passar por eles). Pelo pouco que vejo de você, te considero uma pessoa forte, porém talvez um pouco arredia em relação ao que já te fizeram passar (e olha... to igualzinha HAHAH), mas essas reflexões todas são boas porque mostra a nossa necessidade de metamorfose :D

    HORA DO XAVECO HAHAHAHAH
    De onde a senhora é? :B

    beeeeeeeeeijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Karol,
    Adorei o texto, perincipalmente a frases final " Porque eu sei o que sou hoje, mas não posso controlar o que serei amanhã." e é bem isso mesmo, nunca vamos conseguir controlar o amanhã.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  5. Caramba, que texto legal! A parte que mais gostei foi "Porque eu gosto de repetir a mesma música varias vezes e gosto de relembrar o passado sabendo que irei enjoar da música, mas não da minha vida". Me identifiquei muito.
    Acho que todo mundo muda, sempre. Mesmo os que se recusam a enxergar isso, mudam. E temos sempre que nos policiar pra não mudar pra pior.
    Beijos!

    Porque eu gosto de repetir a mesma música varias vezes e gosto de relembrar o passado sabendo que irei enjoar da música, mas não da minha vida.

    claramenteinsana.com

    ResponderExcluir
  6. Caramba, que texto legal! A parte que mais gostei foi "Porque eu gosto de repetir a mesma música varias vezes e gosto de relembrar o passado sabendo que irei enjoar da música, mas não da minha vida". Me identifiquei muito.
    Acho que todo mundo muda, sempre. Mesmo os que se recusam a enxergar isso, mudam. E temos sempre que nos policiar pra não mudar pra pior.
    Beijos!

    Porque eu gosto de repetir a mesma música varias vezes e gosto de relembrar o passado sabendo que irei enjoar da música, mas não da minha vida.

    claramenteinsana.com

    ResponderExcluir
  7. Sempre tem aquela fase da vida que a gente acha que se encontra, mas na verdade ficamos mais perdidos do que antes. Eu vivo perdida, mas também vivo fazendo planos pra amanhã e é assim que eu vou vivendo. Tipo um macaquinho de árvore em árvore, vai pegar o próximo galho e não tem certeza se vai cair ou se vai se segurar pra continuar indo, sabe? Nossa, viajei aqui, mas ok. Adorei o post!

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir