11 abril 2016

De Teenage Dream para Trash Rock

Há 07 anos no ar o blog já coleciona cerca de 1100 seguidores


Um blog que recebeu o nome de Teenage Dream antes de se tornar o tão aclamado Trash Rock com cerca de 1100 seguidores. O blog é dirigido pela Marília Pessoa, uma estudante de Comunicação Social com seus 18 anos. Vivente em Limoeiro/Pernambuco ela adora escrever seu livro, ler livros, ouvir músicas, assistir qualquer coisa na Netflix (tem alguém que não goste de Netflix?) e ver vídeos no Youtube.


WR.: Há quanto tempo o Trash Rock está no ar?

Costumo dizer que tenho sete anos de blog. Desde março de 2009. O Trash Rock existia há muito tempo, porém com o nome de Teenage Dream.

WR.: Por que você decidiu dar o nome de Trash Rock ao seu blog?

Na época que mudei o nome do blog para Trash Rock, eu só estava à procura de duas palavrinhas que combinassem e soassem descontraídas. Escrevi várias palavras legais e saí combinando até chegar a “Trash Rock”, que tem significados literais como lixo rock ou rock trash, acabadão. Mas nada disso tem a ver com meu conteúdo realmente, inclusive já recebi críticas sobre isso. Por esses motivos que prefiro falar que o nome foi escolhido apenas por ser legal. Já pensei em mudar de nome de novo, mas desisti porque todo mundo já o conhece por esse nome.

WR.: Quando você decidiu criar um blog, teve alguma inspiração, ou seja, algum blog que você tinha maior “afinidade”? O que mais te chamava atenção nesse blog?

Não havia um em especial. Mas eu lia revistas WITCH e Capricho, que sempre mencionavam a onda dos blogs. Pesquisei e encontrei muitos blogs lindos de meninas criativas e um dia resolvi criar um pra mim, só pra ver como era. Na época eu postava coisas que não tinham a ver comigo: sobre famosos e coisas que via na Capricho.

WR.: Tem algum tema a qual você gosta mais para publicar no blog?

Com certeza. Gosto muito de falar sobre moda grunge, cortes de cabelo e batom. Às vezes faço textos feministas e indico coisas para assistir, mas esses três primeiros são mais fáceis para mim.

WR.: Como você definiria o blog e o conteúdo nele abordado?

Não sei definir o Trash Rock, mas acho que ele é “alto astral” e “amiga online”. Explicando, é alto astral porque gosto de incentivar as garotas a gostarem mais de si mesmas, brincarem com a moda, se arrumarem para elas mesmas, enxergarem a vida com mais descontração. E amiga online porque sempre tento tratar temas de um jeito informal e leve, como se fosse aquela amiga sincerona da leitora/leitor.

WR.: Você possui algum plano de postagens ou é tudo aleatório?

Tudo aleatório, costumo postar quando tenho uma boa ideia. Tento não me cobrar, mas quando vejo que não posto há muitos dias eu tento postar algo o quanto antes.

WR.: Recebe e-mails de seus leitores pedindo dicas, trocando idéias, ou até mesmo pedindo algum post? Como se sente em relação a isso?

Às vezes recebo e-mails com dúvidas das leitoras sobre layout e blogs e também elogios de quem gosta de acompanhar. Tem uma quantidade menor que me escreve pedindo opinião sobre coisas das vidas delas. Até tenho um quadro (#MahMeAjuda) no meu canal onde recebo perguntas ou pedidos de “conselhos” e dou minha opinião sincera em vídeo. Gosto muito dessa interação, gosto de receber e-mails.

WR.: Em que baseia as matérias no seu blog?

Eu me baseio em qualquer coisa. Algo que vi na rua, algo que algum amigo disse, algo que li num site, algo que assisti.

WR.: Como se sente estando a tanto tempo, em ativa, na blogosfera?

Acho legal, nunca imaginei que continuaria e passaria tanto tempo na blogosfera. É impressionante ver como o mundo dos blogs mudou de 2009 pra cá, a popularização que o termo “blogueira” teve. Ver tantas mudanças me surpreende porque a blogosfera hoje é muito diferente daquela que conheci quando criei meu blog.

WR.: A pouco tempo você resolveu criar um canal no youtube. O que te impulsionou a criar o canal no youtube?

Criei um canal para complementar o conteúdo do blog. Eu estava vendo nos últimos anos muitas blogueiras fazendo isso. Eu achava bacana a ideia, mas não fazia o mesmo porque não tinha vontade antes, além de não ter tempo e morrer de vergonha de filmar a própria cara. Demorei muito para virar blogueira “youtuber”, só virei recentemente porque criei coragem e achei que estava mais que na hora de trazer conteúdo extra para leitores e para quem ainda não me conhece. Comecei porque queria me soltar mais e me divertir.


WR.: Ao criar o canal você tinha algum plano de vídeos ou tudo funciona de maneira aleatória?

Aleatoriamente. Faço vídeos quando tenho inspiração e tempo. Mas tento postar pelo menos um vídeo novo por semana no canal.

WR.: Você teve algum outro youtuber que te inspirou? O que mais te chamou atenção nesse youtuber?

A maioria das minhas youtubers inspiradoras são blogueiras. Acompanho muitas, posso citar nomes como Caroline do Le noveau grunge, Candy Reis e Debbie Menezes. Também curto aquelas super famosas como Karol Pinheiro, Bruna Vieira, Camila Coutinho (pernambucana como eu) e Maíra do Nunca te pedi nada. Sou inscrita em muitos canais variados e todos eles me acrescentam algo diferente. Não consigo me prender a apenas uma youtuber, já que cada uma das minhas favoritas tem alguma característica marcante que acho legal.

WR.: Você teve algum tipo de receio quando resolveu criar o blog e depois partir para um canal no youtube? Chegou a pensar que não poderia dar certo?

Sim. Meu blog é meu queridinho, é muito mais cômodo e fácil mantê-lo. Meu canal ainda tá no começo, não tenho recursos (tipo câmera boa e cenário), e isso exige um esforço maior, muito improviso. Dá um trabalhinho, mas estou me divertindo e aprendendo com essa “entrada” no Youtube. Ainda é cedo para dizer se deu certo ou não, já que ainda não tenho tantos inscritos e views, mas está sendo tranquilo. Não me arrependo.

WR.: Para você ser blogueira se tornou uma profissão?

Ainda não ganho dinheiro com o blog, ele não é minha profissão, mas tem muito a ver com meu curso da faculdade. Porém acredito que blog pode virar profissão sim, vejo muita gente vivendo só deles. É mais raro, mas pode acontecer. Seria legal poder viver do meu blog, mas por enquanto ele é algo que faço porque gosto muito. Tanto o blog como o youtube são “hobbies” que me preparam para minha futura profissão.

WR.: Você já trabalha com publicidades (parcerias com lojas no seu blog) ou ainda não pensou, está planejando? Como anda essa parte?

Já fiz alguns posts publis. Atualmente não estou com nenhuma parceria, mas estou aberta a propostas de parcerias sim! Seria legal trabalhar em parceria com marcas e lojas que tenham a ver com meu conteúdo.

WR.: Por que escolheu a plataforma do blogspot para fazer o blog?

Escolhi porque é simples e gratuito. Qualquer pessoa pode criar e usar sem problemas.

WR.: É você quem cria os layouts do blog ou você contrata alguém para fazer?

Geralmente são blogueiras amigas que me ajudam com o layout. Não entendo tanto de HTML e coisas relacionadas a isso.

WR.: Na sua opinião: o que é necessário para trabalhar no mundo dos blogs/vlogs?

Não tenho dinheiro e estou longe de ser blogueira rica, mas estou no mundo dos blogs/canais porque gosto, gosto de escrever e falar com pessoas que se identificam. É necessário ter amor pelo que faz de verdade, persistência e paciência. São três coisas essenciais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário