21 fevereiro 2016

#TAG: Projeto Blogueiras/SA Modelos Alternativas


O que você acha do Mercado de Modelos profissionais Alternativas nacionais? Com sinceridade diga o que lhe incomoda, se há alguma modelo que te influência, e que você se identifica. Fale da quebra de padrões, e se ainda há (em sua opinião) algum padrão imposto no meio alternativo. Fale também da influência da moda alternativa numa visão bem pessoal, como essa moda já influência há muito tempo o mercado de moda comercial. 
B/SA: Já pensou em modelar?
B/SA: O que acha que deve ser mudado nesse meio, e que ainda está engessado?

O mercado de moda alternativa tem ganhado destaque não só nas passarelas, como também na questão de modelos contratados. Não é um mercado que começou fácil ou que teve bastante apreço pela mídia, ao contrário, é capaz de se encontrar uma escassez significativa nesse novo “mundo”. Existe ainda uma barreira que não permite o mercado expandir: os parâmetros sociais. Há pouco tempo, talvez de um ano para cá, a mídia começou a investir mais em modelos Plus Size, mas não é como se pudéssemos encontrar modelos de padrão Plus Size em cada capa de revista, ao contrário, é como disse acima: existe ainda uma parcela (grande por sinal!) que não permite a verdadeira mulher em capa.

A ditadura do corpo e da moda sempre existiu, no entanto, no momento em que culturas como: gótico, grunge, psicodélico, hipster, punk, etc, entraram no mundo, conseguimos acabar com alguns padrões impostos. Daí então as Modelos Alternativas, para suprir a necessidade desse mundo alternativo em divulgar roupas, estilos e corpos. Mas, mesmo o “mundo alternativo” tem aderido à ditadura do corpo. Existe sim, uma parcela singular da sociedade que acredita que a mulher “perfeita” é tamanho 38 para baixo, quase como uma Barbie, ou seja, o “senso comum” social tem poluído o meio alternativo.

A moda é a moda, e se já existia o meio alternativo no passado ele apenas voltou com tudo para o comércio. Sempre entendi que a moda era igual maré: ela vem e vai. Para muitos esse meio alternativo jamais foi, sempre esteve consigo. Contudo, o meio alternativo vem deixando sua marca, principalmente na área de vestuário. Antigamente era extremamente difícil encontrar lojas que trabalhassem com o público alternativo, hoje é extremamente fácil. A internet está cheia delas, tem para todos os gostos e todos os corpos.

Uma Modelo Alternativa que super adoro é a Cherry Dee (ou Deborah Insfran). Conheci-a através da marca brasileira Hautextreme. Ela é praticamente a Modelo oficial da marca. Veja abaixo:



B/SA: Já pensou em modelar?

Antigamente, eu diria que não (mas, adorava as modelos góticas). Hoje eu até toparia modelar sim. Será que daria certo?




B/SA: O que acha que deve ser mudado nesse meio, e que ainda está engessado?

A meu ver o que deve ser mudado é o fato de se ter poucas opções de modelos no mercado alternativo. Acredito que se pode investir mais nesse mercado, afinal de contas, uma loja alternativa tem preferência para modelos dentro do seu padrão.

2 comentários:

  1. Olá adorei o post,
    Adoro essas modelos góticas, acho que fica tão legal.
    Você deveria tentar sim rsrs.
    Bjs
    Diário dos Livros
    Sorteio A 5°Onda

    ResponderExcluir
  2. Eu amo quando vejo algum editorial com modelos mais alternativas! Acho que o estilo e a atitude funciona super bem nas fotos porem não vejo muitas modelos alternativas fazendo alta costura. Pensando sobre isso só consegui me lembrar da Cara Delevingne, adorei o post!
    http://www.lenouveaugrunge.com/

    ResponderExcluir