01 janeiro 2016

O filme mais Indie-Pop-Hipster que eu já assiti: Cidades de Papel


Aê! Esse é o primeiro dia do ano de 2016, e o primeiro dia dos 366 dias que restam ainda - exatamente, esse ano é bissexto. Mas, voltando ao post, se o caro leitor julga ter lido errado: não leu! Na minha humilde opinião - de quem passou a virada assistindo filmes - esse realmente é um filme indie-pop-hipster. Para quem já leu o livro e assistiu ao filme, deve ter achado algo que não estava do mesmo jeito que o livro (todo leitor acha!). Eu não li o livro, apenas assisti o filme e na minha opinião: estava ótimo. É claro que estou achando que ainda sim faltou mais um pouco de ação, eu achei que eles passariam por mais algumas aventuras, no decorrer do filme, para conseguir achar Margo.

A temática do filme/livro é que se deve viver o dia de hoje, como se fosse o último. Ou seja, deixar a vida perfeita de lado e ir atrás de uma loucura de vez em quando (acredito que não mate ninguém.). Por fim gostei bastante do filme.

Porém, voltando ao post inicial: indie-pop-hipster. Realmente, ele possui essa "vibe" indie-pop-hipster, principalmente, na trilha sonora (não só a trilha sonora, mas também a personagem Margo). E para vocês terem ideia de como é, postarei a trilha sonora. Siga abaixo:

Smile - Mikky Ekko


To The Top - Twin Shadow


Galantis - Runaway (U &I)


Search Party - Sam Bruno


Son Lux - Lost It To Trying 


Haim - Falling



Santigold - Radio


Kindness - Swing Party


Vance Joy - Great Summer 


Alice Boman - Be Mine


Nat & Alex Wolff - Look Outside


Saint Motel - My Type


Grouplove - No Drama Queen 


The War on Drugs - Burning 


Delux - Moments


The Mountain Goats - Used To Haunt



E ai o que acham? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário